A Nova PudimCasa

Ano passado eu decidi que sairia do apartamento que estava morando há um ano e mudaria para uma casa! A pandemia tinha acabado de começar e ficar todo dia, o dia todo, dentro do apê já estava me cansando (na época eu era freela de mídias sociais – trabalhei MUITOS anos assim – e poderia me mudar sem prejudicar o trabalho). Visitei várias casas e cheguei ao seguinte dilema:

  1. Ou eu sou muito pobre que não consigo pagar por uma casa legal para morar e preciso me contentar com um apartamento pequeno;
  2. Ou as pessoas cobram preços absurdos por um aluguel nessa cidade.

Pra falar a verdade, uma opção não exclui a outra.

O fato é que não consegui encontrar nada legal nessa busca e, quando já estava praticamente sem esperanças, meu cliente que pagava melhor encerrou o contrato.

Eu morri naquela hora.

Coincidentemente, no dia seguinte, vi o anúncio de uma vaga para trabalhar em uma floricultura a um quarteirão de casa. Eu já estava meio cansada de trabalhar com mídias sociais e nem pensei duas vezes: entrei em contato com a floricultura (que eu já conhecia e gostava bastante).

Não deu outra: fui trabalhar lá! (Conto esta história sobre um ângulo um pouco diferente neste post.)

E o tempo lá foi incrível. Foram meses de muito aprendizado, trabalho e diversão.

Comecei no atendimento presencial e depois passei para o digital (que era o meu objetivo desde o início). Trabalhei no atendimento digital EM PLENO DIA DAS MULHERES. Essa, com certeza, foi uma das experiências mais extremas da minha vida. (Isso aconteceu esse ano, 2021.)

Mas 6 meses depois de entrar lá, novo plot twist: surgiu a oportunidade de mudar de emprego e voltar para o home office. Só que, dessa vez, eu não trabalharia exatamente com mídias sociais. Ainda seria marketing digital, mas iria atuar em outras frentes.

Aceitei na hora! Voltar para o home office, mas ganhando um pouquinho mais, dessa vez, com data certa, me permitiria voltar a procurar um lugar para morar.

E como se o Universo tivesse sincronizado tudo para mim, assim que terminei meu período de experiência encontrei um lugar legal em Belém. Tive cerca de um mês para me preparar para a mudança e, claro deixei (quase) tudo pra última hora.

Enquanto a casa era reformada, fui trazendo algumas das minhas coisas. Vim trazendo devagar porque, bem, eu morava no último andar do prédio (o 5º) e estava a 64 degraus de distância do chão.

Isso mesmo, SESSENTA E QUATRO DEGRAUS.

Contratei um caminhão para trazer a maior parte das minhas coisas duas semanas atrás e levei mais uma semana para tirar o resto das coisas de lá (durante essa semana eu já estava na casa nova). A mudança só acabou de vez na semana passada: devolvi as chaves do apartamento, tirei a placa da porta e agradeci ao Universo (quase chorando) por não precisar subir novamente aquela escada.

As últimas coisas que eu trouxe.

Enquanto tirava tudo do apê, confesso que me bateu uma certa nostalgia (nada que me fizesse pensar em desistir da mudança), mas me peguei relembrando diversos momentos da minha vida lá (foram quase 2 anos e meio e MUITA coisa aconteceu nesse meio tempo).

A última foto do apê (sim, o número era 404).

Dormi tranquila, aliás, tenho dormido tranquila todas as noites (ainda mais que tem chovido e sempre fica friozinho por aqui).

Morar em casa é diferente, né? Morei metade da minha vida em uma e, desde 2017, estava em apartamento. Tá sendo uma delícia redescobrir como é morar no chão e não sobre a cabeça das pessoas.

E tenho começado meus dias assim: com os pés na grama e uma xícara de café com leite de soja.

Café da manhã com o pé no chão.

Eu tô adorando essa mudança e esse novo espaço. Quem também tá adorando é o Wilson, meu gato. O único problema é que ele tem miado toda madrugada para espantar os gatos que aparecem por aqui (e são vários!). Mesmo que ele não tenha contato (telei toda a casa), ele não quer nenhum bichano invadindo seu território.

Não pode ouvir um miado que já quer saber o que tá acontecendo!

Estou mudando diversos hábitos e adotando uma nova rotina. O processo tem sido tranquilo e já adianto: vai ter muito post sobre isso daqui pra frente (mas não precisam se preocupar, não virei coach).

Mudar faz bem. Estou bem, feliz e tranquila.

🥰

Um comentário em “A Nova PudimCasa

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: