3 séries japonesas deliciosas

Chega uma hora que a gente parece já ter assistido tudo que tem no catálogo da Netflix, não é? A gente procura, procura, procura e não acha nada de interessante. Foi numa dessas vezes em que eu estava me aventurando por categorias que não costumo olhar que, finalmente, minha bolha se rompeu e encontrei meu primeiro cristalzinho sem defeitos na plataforma. Dele, passei para outros dois que, apesar de terem temáticas completamente diferentes, também giram em torno de comida.

Vem comigo que hoje eu quero falar de 3 séries japonesas que são uma delícia e estão disponíveis na Netflix! (Uma dica: Não assista de barriga vazia!)

1. Midnight Diner: Tokyo Stories

Com uma premissa bastante incomum e uma fotografia primorosa, Midnight Diner: Tokyo Stories já conquista em seu 1º episódio. Na série, acompanhamos o dia-a-dia (ou seria noite-a-noite?) de um restaurante japonês que funciona da meia-noite às sete da manhã. O único funcionário é conhecido como Mestre e ele tem alguns clientes fiéis que gostam de passar a noite por lá.

Aos pouquinhos vamos conhecendo a história de alguns desses clientes e os motivos que os levam a ir tão tarde ao restaurante. No meio de cada episódio, sempre temos uma cena em que o Mestre narra a seguinte frase (que basicamente explica o porquê do seu restaurante existir:

“As pessoas acabam o trabalho e correm para casa. Mas, às vezes, não querem ir direto para casa, então param em algum lugar no caminho.”

Quem nunca passou por isso, né?

Apesar de não ter uma estrutura realmente linear, com as histórias funcionando de forma independente, alguns pequenos detalhes vão se interligando e notar isso é o que torna a série ainda mais gostosa. Vamos conhecendo os clientes, suas histórias e como isso afeta o funcionamento do restaurante, que mais parece uma reunião de amigos ao final do expediente.

O cardápio é bastante simples, aliás, é formado por poucos itens:

Shochu (bebida alcoólica fermentada);
Saquê (bebida alcoólica destilada);
Cerveja (grande);
Missô de porco (uma espécie de sopa com pedaços de porco);
O limite de álcool é 3 doses por pessoa.

Mas como um restaurante que só tem um prato no cardápio pode se manter e ainda atrair tanta gente? Fácil: O lema do Mestre é que ele pode cozinhar qualquer coisa que o cliente queira, desde que ele tenha os ingredientes (que podem ser trazidos pelo próprio cliente). O Mestre prepara cada prato de acordo com o pedido, o que nos leva ao ponto principal da história: A importância da comida para cada um.

A culinária japonesa não é apenas bonita (e saudável) — cada passo no preparo dos pratos é pensado e feito de forma cuidadosa — e a maioria dos pratos pedidos no restaurantes remete a lembranças específicas das pessoas que ali estão, seja um prato que a mãe fazia, o favorito de um antigo amor ou o do seu filho. Aliás, a relação afetiva dos japoneses com a comida é explorada em diversas séries e filmes, o que me leva a crer que já constitui um gênero próprio. 🤤

O clima do local é bastante acolhedor, com seus personagens contando histórias de suas vidas e, claro, palpitando na vida dos outros, mas já dou um spoiler: Do Mestre, pouco sabemos. Se fosse uma série americana, com certeza teríamos episódios que contariam a sua história, mostrariam a vida que ele teve até chegar ali, mas em Midnight Diner: Tokyo Stories, as coisas são beeem diferentes. Para quem não está acostumado com o jeito japonês de contar as histórias, esse pode ser um bom ponto de partida.

1.1. A série está incompleta na Netflix brasileira

Quando acessamos a série na plataforma, vemos que tem duas temporadas disponíveis… Mas essas são as temporadas 4 e 5 e, antes disso, ainda foram lançados dois filmes.

As primeiras temporadas foram lançadas em 2009, 2011 e 2014 no Japão. Os filmes saíram em 2015 e 2016.

1.2. Tudo começou no mangá

A série é derivada do mangá Shin’ya Shokudō (深夜食堂, “Midnight Diner”) escrito por Yaro Abe. De 2007 a 2021 foram lançados 24 edições contando a história desse restaurante tão especial. 💖

2. Samurai Gourmet

Se em Midnight Diner: Tokyo Stories temos uma série slice of life com uma pitada de drama, em Samurai Gourmet vamos ter slice of life com muita comédia. E, não, o personagem principal não é um Samurai que sai provando pratos exóticos pelo Japão, o personagem principal é um idoso recém-aposentado que sai provando pratos em restaurantes perto de onde mora, mas auxiliado por um Samurai bon-vivant que só existe em sua imaginação.

Logo após a aposentadoria, Takeshi Kasumi não sabe muito bem o que fazer, afinal, sua vida toda foi dedicada ao trabalho e é justamente a aposentadoria que o faz começar a descobrir os pequenos prazeres do dia-a-dia, como tomar uma cervejinha no almoço, andar a esmo escolhendo restaurantes para almoçar ou mesmo revisitar restaurantes que fizeram parte da sua história.

“Depois de se aposentar, ele não tinha mais o emprego e o apoio de sua empresa. Esta história é sobre um homem normal de 60 anos, que é ajudado por um samurai sem um mestre, comendo livremente, sem se conter.”

Mas o peso dessas coisas tão simples acaba pesando na cabeça de Takeshi e, em sua imaginação, ele passa a ver um Samurai andando pelos mesmos lugares que ele, mas sem preocupações com a vida, já que não serve a ninguém, só a si próprio (uma espécie de ronin).

Ao longo dos 12 episódios, acompanhamos as andanças de Takeshi pelos restaurantes e também vamos aprendendo sobre o estilo de vida japonês, bem como sobre seus pratos. Algumas vezes também vemos flashbacks da vida pregressa de Takeshi e sentimos a ligação emocional que ele tem com a comida.

Mas Takeshi não está solitário pela vida, ele é casado há muitos anos com Shizuko e, embora não vejamos tanto sobre a sua vida, ao que tudo indica, ela vive apenas para cuidar da casa e, claro de si, tendo uma vida bastante agitada indo à Yoga, coral e jantares com amigos. Apenas em um ou outro episódio eles saem juntos para comer.

O ponto mais importante da série é a mudança de Takeshi sobre a vida após a aposentadoria. Se no começo ele achava que seria julgado pelos outros, aos poucos ele vai deixando esse sentimento de lado e curtindo cada vez mais o tempo que ele agora dispõe para si e sua vida gourmet.

2.1. Baseada em mangá

Samurai Gourmet também é baseada num mangá: Nobushi no Gourmand/Gourmet, de Masayuki Kusumi e Shigeru Tsuchiyama. O mangá, por sua vez, é baseado num ensaio de Kusumi.

3. Kantaro, o Vendedor Guloso

Fechando a lista com chave de doce (🤡), temos mais uma série slice of life de comédia mas, dessa vez, com muito, muito nonsense: Kantaro: The Sweet Tooth Salaryman (さぼリーマン甘太朗, Saboriman Kantarou), que foi traduzida para Kantaro, o Vendedor Guloso. E já fica o alerta: Pode ser que essa série não te pegue logo de cara (só foi me pegar lá pelo 4º episódio, admito).

Kantaro é vendedor de uma editora, então seu trabalho é, basicamente, visitar livrarias e bancas para divulgar os novos títulos. Mas ao final de cada visita, ele se esgueira do trabalho para provar doces em diversos locais e aproveita para contar a história de cada doceria por onde passa (além de falar do processo de montagem de cada uma das gostosuras que ele prova).

Mas não é só isso! Kantaro não consegue se conter em frente aos doces e faz caras de bocas ao provar os doces e dá asas a sua imaginação, criando os mais loucos cenários possíveis, como essa dancinha aqui:

E ainda tem mais, Kantaro tem um segredo guardado a sete chaves: Ele é o famoso blogueiro Cavaleiro dos Doces, um influencer que posta de forma anônima em um blog fazendo resenhas dos doces que prova.

Mas seu segredo pode ser revelado a todos quando uma se suas colegas de trabalho começa a suspeitar que ele é o famoso blogueiro. Acompanhando o roteiro de visitas de Kantaro e os posts de seu blog, ela começa a ver as “coincidências”, afinal, ela também é uma grande fã de doces e conhece quase todos os locais! Para tentar provar que está certa, ela questiona Kantaro e também o testa levando doces ao trabalho e oferecendo a ele.

As docerias visitadas por Kantaro existem na vida real e tudo que ele conta sobre elas é verdade, incluindo a forma de preparo dos doces. É um verdadeiro mergulho na cultura japonesa, além de um belo colírio para os olhos.

Em cada episódio, Kantaro solta uma frase que se torna o seu bordão, principalmente quando ele se questiona qual será sua próxima parada:

“Só o deus dos doces sabe!”

(Confesso que não gostei do final e, por isso reescrevi tudinho na minha cabeça. 🤡)

3.1. Sim, também é baseada em um mangá!

Assim como as outras séries da lista, Kantaro, o Vendedor Guloso também é baseada em um mangá: Saboriman Ametani Kantarou, escrita por Tensei Hagiwara e ilustrada por Inoue ABD.

Espero ter saciado a tua fome de séries por um tempo! Mas vale repetir: Não assiste de barriga vazia, tá bom?! É muita tentação!

🤤

Mais informações

Que tal dar uma lida nos outros conteúdos que eu já produzi?! Tenho trabalhado neles há um tempo e espero que inspirem outras pessoas. 😊
Tem bastante coisa aqui no blog e, aos pouquinhos, tenho alimentado o Pinterest com os conteúdos daqui e uns extras.

Além do blog e do Pinterest, eu mantenho três newsletters: a PudimLetter, para conteúdos relacionados ao PudimCast, a SlowLetter, uma newsletter para desacelerar, e a Cartas da Cintia, uma newsletter bem pessoal onde abro o meu coração e dou dicas pontuais. Conheça e assine as newsletters.

2 comentários em “3 séries japonesas deliciosas

Adicione o seu

  1. Quero muito ver Midnight Diner, mas tenho que me preparar pra isso fazendo comida antes, igual quando vi Samurai Gourmet. Já Kantaro comecei logo depois de ver Samurai Gourmet, mas só consegui ver um episódio, achei bem bobo e os exageros na cara dele me dava vergonha alheia, por fim achei melhor largar, mas você fala que começou a curtir do episódio 4 em diante, fico balançado em voltar a ver, embora as caras dele me afaste saushaushausahsuahsus

    Curtir

    1. Olha, faz BASTANTE comida porque vais querer assistir um episódio atrás do outro! Midnight Diner é aquela série que te abraça, sabe?! Linda!

      Kantaro é bem bobo mesmo, mas tem umas cenas hilárias, então vale a pena dar uma 2ª chance, eu juro!!!

      Curtir

Deixe uma resposta para Dalto quer a OST de Persona 5 R/S no Deezer (@DaltoBSilva) Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: